Mar de vozes: atividade com blog para sala de aula

13/07/2005 § 31 Comentários

Atividade sugerida – Partindo da imagem da internet como um “mar de vozes” e entendendo o aprendizado como um processo de socialização, estamos propondo um grande desafio aos professores. Lançar mão dos recursos tecnológicos disponíveis para experimentações mais radicais do uso e do sentido da produção coletiva de conhecimento.

O primeiro passo é pesquisar o que é um blog e como se pode construir um blog. Em seguida cabe ao professor discutir com seus alunos a apropriação da linguagem do blog para o trabalho pedagógico e sistemático que a produção de conhecimento, pelo
menos dentro da escola, requer. Confira os detalhes da nossa sugestão de atividade.

jcosta-t.jpg

Blogs da Escola João Costa(Crédito: Reprodução)

Público-alvo: Professores do Ensino Fundamental, do Ensino Médio ou Universitário.

Objetivos:

* Trabalhar o blog como linguagem e, ao mesmo tempo, como ferramenta pedagógica.

* Usar este recurso como um instrumento, de fato, de construção coletiva do conhecimento.

* Ampliar, de maneira criativa, os repertórios culturais e tecnológicos de seus alunos.

typepad-t.jpg

Blog Memória da Escravidão (Crédito: Reprodução)

Passos para realizar a atividade

1) Sugestão de tema para debate – Cidadania e Corrupção

2) Definir uma questão-problema que deverá ser alvo de publicação e debate no blog que será criado. Seja qual for o tema que estiver sendo estudado dentro de uma determinada área de conhecimento, cabe ao professor selecionar afirmações feitas pelos alunos (escritas ou orais), com o objetivo de, ao mesmo tempo em que se verifica os conhecimentos prévios que seus alunos têm do assunto, problematizá-los, isto é, provocar a reflexão a partir de um debate que justifique a solicitação para que os alunos busquem e pesquisem mais informações de maneira a construírem sua argumentação para serem publicadas como conclusões, mesmo que provisórias, que contribuam para o adensamento do debate. Tomando o tema Cidadania e Corrupção como exemplo, começamos pela problematização do tema, propondo a seguinte questão – cidadania e corrupção podem conviver bem? Ou ser cidadão e ser corrupto, cabem no mesmo sujeito? São idéias compatíveis?

3) Organizar a classe em grupos e sugerir que pesquisem na internet a partir das seguintes palavras chaves – cidadania, cidadão, corrupção, política, ética, congresso, parlamentares, impeachment, CPI ou outras.

4) Selecionar informações que possam se constituir em notas que tratem ou se relacionam com o tema em debate, isto é, notas
sobre o “mensalão” , os depoimentos da CPI dos Correios, opiniões recolhidas de jornalistas, por exemplo, Contardo Calligaris escreveu na Folha de S.Paulo dia 23 de junho de 2005 – “Inventar o cidadão é a maior dificuldade moderna. Sua formulação básica é a seguinte: como se constitui uma consciência que dê valor à coletividade numa cultura em que, sem retorno, o indivíduo é o valor prioritário?” Esta citação poderá remeter algum texto publicado pelos alunos e ampliar as possibilidades de conversa e debate sobre o assunto.

5) Dividir a classe em duas grandes equipes (vermelha e azul) e cada um deles em grupos de 3 ou 4 alunos.

6) Solicitar que os grupos pertencentes à equipe vermelha se concentrem em selecionar argumentos que defendam que “cidadãos podem ser corruptos”, ou seja, que a idéia de corrupção não é incompatível com a de ser cidadão, em outras palavras, nada impede que alguém que pratique a corrupção seja considerado um cidadão. Já os grupos pertencentes ao azul devem defender a tese de que os “cidadãos não podem ser corruptos”, ou seja, alguém que pratica a corrupção não pode ser considerado um cidadão.

7) Organizar as informações encontradas e selecionar argumentos que defendam a tese de seu grupo em “resposta” à pergunta-problema.

8) Criar o blog e publicar as notas (posts) sobre a questão do “mensalão” e outros assuntos e as primeiras argumentações que
os grupos azul e vermelho chegaram sobre o tema, em função de suas teses.

Clipboard04-t.jpg

Comunidade do Orkut Uso de blogs pedagógicos (Crédito: Reprodução)

9) Visitar o blog e ler com os alunos as duas teses e os argumentos publicados. Se houver contribuições externas aos grupos, melhor ainda.

10) Se julgar oportuno e valioso que haja contribuições de outras pessoas, um bom expediente seria convidar, por email, pessoas estratégicas para aprofundar o debate.

11) Voltar a discutir nos grupos e construir outras argumentações a partir das que foram publicadas.

12) Se for o caso, empreender novas pesquisas e criar outros posts.

13) Animar o debate, caso você perceba que uma ou outra argumentação possa render uma discussão mais apurada. Portanto, pesquisar para aprender, requer uma elaboração por parte do estudante, tendo o professor como um importante orientador neste percurso.

14) Como se trata de uma experiência educativa e pedagógica, cabe ao professor “encerrar” o blog, publicando a sua síntese sobre o debate produzido e fazendo observações sobre as argumentações e o nível de elaboração que seus alunos foram capazes de fazer sobre o assunto.

15) Indicar no próprio blog resenhas de alguns livros e links que os alunos poderão ler e investigar para ampliar o repertório sobre o assunto.

16) Uma outra possibilidade ainda, seria propor um debate neste formato entre duas ou mais escolas.

mulhernahistoria-t.jpg

Blog Mulher na História (Crédito: Reprodução)

Por Flávia Aidar, educadora e autora da concepção pedagógica do Yahoo! Busca Educação

Anúncios

§ 31 Respostas para Mar de vozes: atividade com blog para sala de aula

  • Eliane disse:

    Adoro a idéia do trabalho pedagógico com blogs. Na proposta apresentada eu faria algumas mudanças…Entendo a preocupação em garantir a reflexão e o debate, e por isso a proposta de dividir o grupo em equipes (vermelho e azul), com a pré definição de que deveriam posicionar-se contra e a favor, mas se considerarmos que o blog é espaço de construção de livre expressão, a diretividade da proposta, na minha opinião, tolheria um pouco essa característica. Acredito, como a Flávia propõe na atividade, na importância do professor saber quais são os conhecimentos prévios dos alunos, mas ainda assim eu usaria o blog como registro desse processo de construção da argumentação, das pesquisas e buscas de informações realizadas sobre o tema e não como um produto final dessa primeira fase. A própria estrutura do blog já provoca o exercício do diálogo através dos comentários, e estes, por si só, provocam um novo olhar para a própria produção, cabendo, portanto, ao professor estimular a interação e comunicação nesse espaço.
    De qualquer maneira, lançar a idéia e a discussão sobre o trabalho com blogs na sala de aula, é uma iniciativa imprescíndivel no contexto atual.

  • Flávia Aidar disse:

    Oi Eliane, gostei do seu comentário. Acho que com isto já começamos uma conversa que interessa a todos, pois estamos nos apropriando de uma ferramenta ao mesmo tempo em que propomos o uso dela pedagogicamente.
    Gostaria de saber se vc é professora, de que área e de que faixa etária. Pergunto isto para saber se a proposta de uma construção de blog sem uma certa “provocação dirigida” – que é o que pretendi fazer ao dividir o grupo para construir argumentações pró e contra a tese – funciona bem.
    Considero seu argumento interessante pois vc procura se apropriar da linguagem do blog sem nenhum “artifício”. Vale a pena aprofundarmos a conversa, certo?
    Um abraço e obrigada pela contribuição.
    Flávia

  • Sônia Bertocchi disse:

    Flávia, vc tem razão. O imporante é começarmos uma discussão que interesse a todos. Então, vamos lá… Não me sinto confortável, por exemplo, com a provocação inicial baseada no pró e no contra. A experiência em sala de aula mostra que esse critério maniqueísta de divisão da turma sempre causa mais transtorno e insatisfação que resultados positivos da atividade. Penso que seria mais produtivo dividirmos a turma de acordo com os vários aspectos, ou pontos de vista, do tema em questão: cidadania e corrupção. Assim poderíamos ter a fala/visão (notas,posts) do cidadão comum, do parlamentar, do militante partidário, do jornalista (mídia), do estudante, da empresa (empresário), do legislador, do advogado,do historiador, do filósofo … e até do corruptor e do corrupto.
    Bem, espero ter contribuído um pouco para essa discussão sempre interessante sobre o uso pedagógico do blog e de outras ferramentas da web.Um grande abraço a todos, Sônia Bertocchi
    http://www.lousadigital.blogspot.com.br

  • Gládis disse:

    Flávia,
    Gostei muito dos textos e das idéias.
    Iniciei este ano o trabalhao com blogs, primeiramente com os professores apresentando-lhes essa possibilidade e levando-os a refletir como usar pedagogicamente mais este recurso.Fiz isso através de um blog que agora passou a divulgar também projetos desenvolvidos pelos professores.
    http://caicmariano.blogdrive.com
    Com alunos das classes de aceleração, iniciei outro blog, cujo objetivo principal é trabalhar a auto-estima destes alunos,através da inclusão digital.
    Estamos fazendo vários progressos: os alunos já escrevem mais e melhor e estão se interessando pela leitura.Já houve troca de experiências com alunos de outras escolas que também estão trabalhando com blog nas aulas.
    http://acelera2005.blogdrive.com
    Aguardamos sua visita e comentários nos blogs.
    Abraços
    Gládis
    Joinville, SC

  • marli disse:

    Sabemos que o computador é uma ferramenta de grande utilidade para a educação. Tenho certeza que os alunos gostarão imensamente de participar desta atividade, estou esperando com muita ansiedade os computadores prometidos para nossa Escola pelo governo de estado e certamente criaremos juntos um blog para a escola e os alunos aprenderão muito maise com mais eficiência.

  • Fátima disse:

    Olá, Flavia
    Estou tentando usar o blog como recurso pedagógico.Incrível! Pensamos no mesmo tema – ética -, mas estou usando literatura com gancho, fábulas,para ser mais precisa. Ainda tenho dúvidas de como levar meu projeto adiante, já que minha escola não possui laboratório de informática. Meu blog: blogsestorias.blig.ig.com.br
    Abraços,
    Fátima

  • Flávia Aidar disse:

    Oi Sonia, achei suas considerações bastante inteligentes e interessantes. Creio que a ampliação do número de atores/interlocutores no debate sobre determinado tema enriquece muito mais a possibilidade de problematização e de reflexão dos alunos.
    Por outro lado, nada impede de provocá-los com posições antagônicas (no caso há uma afirmação que julgo provocativa: a de se debater sobre a incompatibilidade entre ser cidadão e corrupto), pois fica mais fácil construir argumentos pró e contras e, aos poucos, irmos modulando o debate e incluindo outros “discursos” que possam provocar a revisão dos conceitos construídos.
    Um abraço e obrigada pela contribuição.
    Flávia

  • Flávia Aidar disse:

    Oi Gládis, que bom que vc já considera a possibildiade de trabalhar os blogs pedagogicamente.
    Vou entrar nos endereços que vc indicou e voltamos a conversar.
    Abraços e obrigada, Flávia
    PS – Reforço aqui a todos os visitantes deste blog, que entrem nos indicados pela Gladis para ampliarmos a conversa e a experiência.

  • Flávia Aidar disse:

    Oi Marli, espero que os prometidos computadores cheguem logo por aí – aliás, por curiosidade, de qual Estado você está esperando os computadores, São Paulo?
    Bem, retomando a conversa, tenho interesse em saber do processo de trabalho seu, valendo-se dessas nossas sugestões.
    Um abraço,
    Flávia

  • Flávia Aidar disse:

    Oi Fátima,
    Acho que não é nenhuma grande coincidência considerarmos ética um bom tema para reflexão, no momento político que estamos vivendo, não é mesmo?
    Gostaria de acompanhar mais de perto o seu trabalho que se inicia com literatura. Aliás, fábulas têm mesmo uma estrutura que favorece o debate sobre a “moral da história”, não é?
    Vamos conversar mais sobre isto? Qual a faixa etária e o perfil dos seus alunos? Como pensa em desenvolver este trabalho mesmo sem o laboratório digital na escola?
    Aguardo mais informações.
    Um abraço, Flávia

  • Mary Grace disse:

    Realmente esta discussão está bem interessante.
    De inicio eu também teria a mesma posição apresentada pela Eliane.
    Na verdade eu curto esta idéia de trabalhar com temas polêmicos, pedindo que os alunos se posicionem. Creio que isso possibilita melhor entendimento de um tema e ainda contribui para o desenvolvimento da argumentação.
    No entanto,no caso dos blogs, acho que é interessante trababalhar a idéia de continuidade, ou seja, o aluno produzir um blog que não tenha data marcada para acabar e que ele possa continuar, se gostar do trabalho. O blog não pode parecer uma atividade exclusivamente escolar, primeiro porque não é… e segundo porque ficaria chato.
    Por isso, tenho duas propostas:
    -iniciar a atividade do debate sala de aula e a partir daí ele criasse um blog que realmente retratasse o que ele pensa/acredita.
    – Abordar um tema polêmico ou que possibilite duas opiniões praticamente opostas, como transgênicos, neoliberalismo, ou qualquer outro, organizando a argumentação em blogs colaborativos, em que um grupo de alunos opta por participar do blog que defende um determinado tema e outro pelo blog que critica.
    Dependendo do tema, também é interessante a proposta apresentada pela Sônia, de assumir personagens, analisar um problema por diferentes perspectivas.
    De qualquer modo é importante que os alunos conheçam a função social do blog, os diversos tipos de blogs que há hoje em dia, suas intenções, possibilidades e até mesmo blogs do tipo/gênero que pretende ser trabalhado em sala de aula. Desta forma, ele também compreenderá que este é um veículo de informação social, democrático e que ele também poderá ser autor de um, quando quiser e sentir necessidade.

  • carla disse:

    olá, pessoal
    achei fantásticas as idéias de como usar o blog em sala de aula, parabéns.
    Sou professora de Inglês e gostaria de pedir sugestões para o uso do blog no ensino da língua Inglesa. Obrigada , até mais….

  • Márcia Borges disse:

    Sou Professora de Informática educacional e sempre quis fazer algo que pudesse inovar! A idéia de blogs pedagógicos é algo que eu já tinha em mente, mas não havia um espaço para desenvolvê-la agora que tenho esse espaço gostaria de sugestões para trabalhar com turmas de 5ª a 8ª séries, além das primeiras séries do Ensino Funadental.
    Desde já agradeço e confesso que adorei esses trabalhos que estão sendo feitos por aqui
    Prof.ª Márcia Borges

  • Renato Cunha disse:

    Achei interessante este sate de blogs ,espero poder contar com vcs , eu preciso de alguma coisa que possa ma ajudar a estudar matemática e química .

  • Maria Regina Momesso de Oliveira disse:

    O uso do blog como ferramenta pedagógica na escola é muito interessante, interativo e estimulante. Faço este trabalho desde 2002, quando comecei a utilizá-los nas aulas de Redação com as segundas séries do ensino médio no Colégio da Fundação Educacional Dr Raul Bauab da cidade de Jaú. A experiência deu tão certo que em 2003 ministrei alguns módulos sobre novas tecnologias no ensino no Programa Teia do Saber para profos do ensino fundamental e médio, usando o blog http://www.teiadosaber.weblogger.terra.com.br. Hoje continuo o trabalho com blogs e o estendi a universidade, meus alunos dos cursos de comunicação utilizam o http://proseandousc.zip.net, participam com comentários, publicamos artigos e trabalhos dos mesmos e na Fundação um dos blogs http://fjausegundob.blogspot.com, entre outros. Além de tudo isso a relação professor-aluno fica muito mais próxima, afetiva e interessante.
    Vale a pena trabalhar com os recursos da internet.

  • tatiane disse:

    Flávia, boa tarde!
    A idéia de trabalhar com blogs é ótima, visto que o computador é e, deve ser visto como uma ferramenta pedagógica.
    Pena que ainda temos que nos deparar com escolas com ótimas estruturas físicas, materiais variados disponíveis…., mas o que ainda me sensibiliza, é constatar que em minha pesquisa de prática de ensino do curso de pedagogia, a qual me forma este ano, que temos professores que ainda não despertaram para a utilização desse recurso dinâmico, onde as crianças, jovens e adultos adoram manusear.
    Parabéns pela sua metodologia,dinâmica, que bom que temos pessoas que “criam” que pensam e procuram se aperfeiçoar cada vez mais, para uma educação plena e instigante.
    Abraços Tatiane.

  • Silvana Serra disse:

    Após o Congresso realizado no shopping Frei Caneca minhas concepções sobre dinamizar as aulas de informática mudaram.Sou profª do ensino fundamental e fiquei estusiasmada em realizar alguns trabalhos voltados para a área.
    No colégio em que trabalho(Guarulhos) estamos montando em fase final uma Web Quest sobre a água e paralelamente um Blog sobre consumismo (tema que estamos trabalhando em Português.
    Consultando sites educacionais, encontrei o seu.Parabéns pela elaboração! Chegarei lá! Abraços.

  • Eliana Gastaldi disse:

    Este trabalho que venho realizando com os Blogs,é muito gratificante!Todos os que trabalham com Informática nas escolas vivenciam o drama de existir pouca compreensão sobre nosso trabalho, mas posso declarar que a experiência vale a pena! Tudo é realizado a passo lentos, os alunos e professores navegam por um mar desconhecido, vão aos poucos se inteirando do que ocorre e , participando!
    Ainda não consegui um trabalho interativo como esperava, mas aos poucos chegaremos lá, e ainda verei um trabalho onde haja uma efetiva construção de conhecimentos.Agora vale uma reflexão sobre o que acabei de falar: Esta construção já não estaria ocorrendo? Penso que declarei como um acontecimento futuro o que já vem ocorrendo no presente: uma construção de conhecimentos, pois o mundo virtual ainda é novo, principalmente num universo onde a maioria só tem acesso à Internet em poucos minutos de aula, e professores que , mesmo tendo em sua maioria especialização, conquistaram seus títulos num período onde a Internet sequer existia!
    Abraços Eliana Gastaldi.

  • Flávia Aidar disse:

    Mary Grace, gostei muito de como você colaborou com a conversa que estávamos tendo – Sonia e eu – sobre a possibilidade de trabalho com as várias visões sobre um mesmo tema ou fato. Acho que você conseguiu abrir um espaço que resolve o “dilema” propondo que com sensibilidade e senso de oportunidade o professor se valha de uma ou outra forma de estratégia para que o debate se dê da forma mais democrática e ampla.
    Obrigada pela colaboração. Sua opinião e sugestões de encaminhamento abriram ainda mais as possibilidades de trabalho e enriqueceram a nossa conversa. Este já é o exercício do qual falávamos, concorda? Isto é, entre uma opinião e outra, pode haver muitas outras, o importante é favorecermos a possibilidade do debate e o espaço democrático para a construção coletiva dos saberes, da análise e da crítica. Esta disposição garante as múltiplas e diversas opiniões e não necessariamente o contrário.
    Um abraço e mais uma vez obrigada por sua participação!
    Flávia

  • Flávia Aidar disse:

    Oi Renato, imagino que você seja um aluno. Estou certa? Em caso afirmativo de que série? Se errei na suposição, para podermos te ajudar de maneira mais precisa, gostaria de saber o que e por que vc precisa saber/estudar sobre matemática e química?
    Um abraço, Flávia

  • Flávia Aidar disse:

    Gládis, entrei nos endereços indicados por você e gostei muito do que vi, isto é, há muitas informações interessantes e o nível de reflexão e de apropriação do blog como ferramenta pedagógica coincide com a nossa concepção também.
    Parabéns pelas iniciativas e insisto no convite aos visitantes de estenderem seu olhar para as experiências que a profa. Gládis tem desenvolvido.
    Um abraço, Flávia
    PS – sempre que tiver novidades e quiser comentá-las no nosso blog seria um prazer para nós poder compartilhá-las

  • Flávia Aidar disse:

    Tatiane, concordo com você que nem sempre no campo da educação a agilidade impera. Se por um lado isto pode sugerir o tempo necessário para a reflexão e a fuga dos modismos, por outro, pode implicar na perda de oportunidades preciosas da apropriação de ferramentas e recursos antes que alguns “aventureiros” o façam, não é? Bem, quem se antecipa, aos poucos consegue iluminar o caminho para que outros o sigam. Estamos juntas nesta estrada…
    Um abraço e bom trabalho!
    Flávia

  • Flávia Aidar disse:

    Eliana, concordo com você, romper resistências e ao mesmo tempo conseguir propor trabalhos que possam contribuir para um salto qualitativo na apropriação dessas novas tecnologias, requer competência e muita paciência…
    Vamos juntos que fica mais fácil.
    Bom trabalho e um abraço solidário.
    Flávia

  • Neli Maria Mengalli disse:

    Eliane, Flávia, Sônia, Gládis, Marli, Fátima, Mary Grace, Carla, Márcia, Renato, Maria Regina, Tatiane, Silvana e [todos]…
    Os comentários proporcionam uma reflexão por parte do escritor para uma interação, no entanto a leitura verbal ou de imagens é o fator desencadeador da escrita, assim, está implícita uma ideologia que não precisa ser dividida as opiniões de acordo com a idéia matemática do professor. Precisamos, realmente, da diversidade para diálogo a propósito de metodologias que privilegiem a sala de aula.
    A explicitação do público-alvo que trabalhará a proposta é importante para os objetivos que planejamos atingir, é uma necessidade começarmos a discutir práticas, precisamos ver o que a escola está produzindo de conhecimento e o que os alunos estão construindo desse conhecimento.
    A qualidade da Educação deve ser garantida, não basta criar, devemos dar suporte, sustentação e formarmos na ação, devemos delegar tarefas para os participantes que colaboram na idéia criadora.
    A inserção de várias disciplinas para dialogar é um fator proeminente, entretanto deve-se ter uma noção de que cada disciplina tem argumentações e que para “passearmos” de uma argumentação para outra devemos ter um local para habitar.
    Atividades escolares devem ter a realidade contextualizada e as continuidades do “além muro escolar” devem ser requeridas, as heterogenias das visões devem ser respeitadas, tendo em vista que não convivemos em espaços neutros e homogêneos, tal qual a tecnologia. Situar o “blog” como potencialidade para determinados trabalhos sem excluir outras mídias.
    O despertar docente perpassa por discursos de poder que podem estar atrelados a hegemonia gestoras, o professor não é único culpado, temos como mais personagem em ambientes educacionais. Achamos que o Brasil, com 500 anos é novo, o que podemos escrever a respeito do espaço potencial???
    Estamos construindo história no espaço de possibilidades com os estudos e reflexões a respeito de mídias emergentes…
    Até mais…
    Neli Maria Mengalli

  • Dayanny disse:

    oi!
    estava fazendo umas pesquisas e encontrei esse site!
    gostei muito da idéia de vcs. Sou aluno do 3° ano do ensino médio, e “internauta”. Essa idéia de blog é muito boa porque a maioria dos adolescentes de hoje “morfam” na internet, sem fazer nada de útil, e com esses blogs podemos encontrar conhecimentos de forma mais divertida e informal.
    desculpe a simplicidade da linguagem, não sei se consegui expressar bem o que eu queria dizer, mas gostei muito do blog!

  • leozita santos disse:

    Adorei esses comentários, sou professora de história e gostaria muito de trabalhar com meus alunos A POLITICA DO BRASIL.Flávia você é maravilhosa; me responda por favor.Leozita de MT.

  • Edna Regina disse:

    Adorei a idéia, sou prof de filosofia e gostaria de receber mais informações a respeito de como trabalhar com blog, acho a idéia muito produtiva, e também uma grande ferramenta de motivação para meus alunos…abraços..me mande notícias…

  • Ordália Lopes da Silva disse:

    Olá flávia. como sou coordenadora de laboratório de informática estou sempre a procura de coisas novas para nossos professores. então encontrei esta discussão sobre o blog como recurso para professores e alunos estudarem o conteúdo imagino que é maravilhoso porq esta prática tenho trabalhado no chat, mas esta idéia de blog e o auge e isto é tão importante para nos professores quanto para os alunos.Parabéns Flávia é de idéia assim que precisamos para implementar o nosso fazer pedagógico.

  • Gládis Leal dos Santos disse:

    Estava relendo este debate e quanta coisa já conquistamos e aprendemos em conjunto!
    Até os blogs que indiquei aqui já mudaram de endereço e outros foram criados. Desenvolvemos blogs colaborativos e acho que estamos progredindo muito na utilização pedagógica dos blogs.
    Vou deixar aqui os novos endereços e aguardo a visita e apreciação de vocês lá nos blogs.
    http://palavraaberta.blogspot.com
    http://caicmariano.blogspot.com
    http://copamundo.blogspot.com
    http://brasileleicoes2006.blogspot.com
    Abraços
    Gládis Leal dos Santos
    Joinville, SC

  • Fátima disse:

    Olá,Flávia:
    bastante produtiva a discussão sobre blogs.
    Como alguns professores estão precisando de ajuda para iniciar o trabalho, deixo dois links que podem ajudá-los a trocar/complementar as informações sobre o assunto.
    O primeiro é uma lista de discussão, aqui no Yahoo, que criei com o objetivo de ajudar os professores a publicarem seus blogs e trocar informações:
    http://geocities.yahoo.com/ps/y360/?v=f
    Já contamos com 130 educadores, muitos dos quais já têm seu trabalho reconhecido na mídia.E como o trabalho rendeu muitos frutos, hoje também discutimos o uso da Internet e da Web na Educação.
    O outro é um blog que reúne os links para os blogs dos professores participantes da lista de discussão e que podem servir de orientação aos colegas professores:
    http://internetnaeducacao.blogspot.com/
    Abraços

  • Márcia disse:

    Trabalhar com blogs é muito gratificante. Por isso tenho vários. No momento estou orientando um grupo de professores a criarem blogs. Para isso fiz um BLOG:
    http://fazendo-blogs.blogspot.com/
    A gente se vê por lá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento Mar de vozes: atividade com blog para sala de aula no Pesquisa Educação.

Meta

%d blogueiros gostam disto: