A lição de casa e o professor

04/05/2006 § 3 Comentários

Dica – O professor Marcelo Cunha Bueno, diretor pedagógico da Escola Estilo de Aprender, enviou um artigo bastante reflexivo sobre as questões que estão envolvidas na sempre polêmica “lição de casa”. O Yahoo! Busca Educação tem estado presente em muitas lições de casa pois é bastante comum que ali esteja envolvida a pesquisa em bibliotecas ou na internet. E você, o que acha da nova postura das escolas contemporâneas sobre a lição de casa? Leia o artigo de Marcelo e participe, contribuindo para o debate sobre esta questão. Lembre-se que você também pode enviar uma artigo sobre este ou quaisquer outros assuntos sobre educação e novas tecnologias. Isto pode ajudar a divulgar o seu trabalho e o de sua escola por meio do nosso canal Participe.


“Lição de casa: Uma lição para a escola
Muitas escolas e muitas famílias propõem um debate bastante pertinente e que ocupa uma grande parte da rotina escolar: a lição de casa.
Lição de casa sempre foi um elemento de discórdia entre professores e estudantes e familiares e escola. Pesa sobre a lição de casa o estigma de roubar momentos livres de brincadeiras de meninos e meninas, de obrigar pais e mães a esforçarem-se no difícil intento da educação de seus filhos e de poupar a escola de ensinar conteúdos.
Peço que façam um exercício para problematizar essa questão para além das lembranças e estigmas que a mesma carrega. Vamos pensar de uma outra forma, mais formativa. Quando me refiro à formação, não me limito somente a falar dos estudantes, mas de professores e de familiares ou parentes que realizam ou ajudam seus filhos a realizarem tais lições.
Lição de casa é um instrumento fundamental para a escola e que, de forma alguma, deve deixar de existir na rotina diária dos estudantes. É preciso deixar claro alguns pontos importantes: lição de casa não é exercício de “recognição”, ou seja, de reconhecimento; não é cópia de livro didático, de internet, de enciclopédia; não é passatempo, não é um elemento que cria obstáculos para a felicidade do final de semana; não é obstrutor da infância; não é preguiça do professor e, muito menos, atividade compensatória, por falta de tempo ou castigo.
Em oposição a essas características, aponto que o verdadeiro objetivo das lições de casa é a formação de um estudante. Entenda que esse vai além da escola, ou apesar dela. Estudante é aquele que associa, relaciona, produz, cria e experimenta o conhecimento de forma sensível. Aquele que, no teatro, lembra-se do livro; que, no livro, pensa no cinema; no cinema, pensa nos amigos… multiplica as suas perspectivas de aprendizagem. Lição de casa é um exercício de formação, de multiplicação de conhecimentos.
Conhecimentos estão em todas as partes. Não somente em internet, em enciclopédias ou em dicionários. Estamos acostumados e nos sentimos seguros com as respostas exatas, prontas. Achamos que, ao escrevê-las, conseguimos captar a sua intenção e, ainda, colocar o nosso entendimento. Isso não é aprender! Engana-se aquele que acha que, apenas resumindo, produziu algo. Em casa, sem ajuda do professor, que não pode ser confundido com livros, meninos e meninas encontram-se diante de um grande desafio. Não é fácil encontrar as próprias palavras!
Lição de casa tem de ser uma responsabilidade, primeiramente, do estudante. Ele deve se organizar e estabelecer quais os melhores horários e dias para fazê-la e entregar no dia combinado com o professor. Mas a responsabilidade também é dos pais e mães.
Educar os filhos é muito mais do que ensinar bons modos, é também fazer parte da vida escolar deles, inclusive ensinando-os o que não aprenderam na escola. Portanto, familiares devem ajudar seus filhos a pesquisarem, a escreverem textos, a se organizarem em suas obrigações e a ampliarem seus repertórios para além do que foi pedido ou para além dos materiais utilizados.
Professores devem entender que lição de casa é um exercício de formação, de estudo para eles também. Professor, quando planeja uma lição, deve pensar em provocações, desafios que vão além do que pode estar descrito em algum lugar. Devem estudar os conteúdos para traspassá-los. Lição de casa não pode ser a sua apresentação. Lição serve para sintetizar, ampliar as discussões pontuais sobre os conteúdos estudados em sala de aula. O professor deve se preocupar com esses objetivos ao passar lições. Seria impossível limitar o ensino somente à lição de casa. Garantir conteúdos é obrigação da escola.
A escola acabou por assumir e se conformar com um papel limitador: só dizem respeito à escola coisas conversadas na mesma, durante a semana. Estudante leva a escola para onde vai, e traz a sua vida para a escola. Fim de semana é também para estudar, para pensar.
Fugindo da visão de que a escola prepara para a vida, escolhas fazem parte da vida, e com escola não é diferente. Quando se escolhe assistir Big Brother ao invés de ler um livro, conversar no Orkut ao invés de ir ao cinema, estamos fazendo escolhas. Fazer lição aos sábados não é o fim do mundo quando há uma organização prévia, quando se encara isso como um dever e responsabilidade dos meninos e meninas.
Vejam, as lições podem ficar mais ricas se ampliarmos a forma de registro ou síntese do conhecimento. Valoriza-se demasiadamente a escrita em detrimento de outras formas de expressão. Percebemos isso, durante a Educação Infantil, quando as crianças começam a escrever e seus professores permitem que deixem de lado a representação gráfica, ou seja, os desenhos. Às vezes, encantamo-nos com uma imagem, uma fotografia, um quadro, poesia ou música. Isso pode dizer mais do que um texto. O importante é comunicar e pensar no conhecimento. Talvez fosse um bom exercício para professores e familiares investirem nesse tipo de lição de casa, mais parafraseado!
Permitindo essa multiplicidade de respostas, podemos ver e provocar um debate interessante a respeito das diferentes formas como estabelecemos relações com o que aprendemos. A lição acaba se tornando um recurso importante para avaliarmos com os estudantes as formas de representação.
Na minha escola, a Estilo de Aprender, uma das professoras estudou com seu grupo de crianças com quatro anos algumas figuras da cultura popular brasileira (Boi Tatá, Negro d’água, etc). Como uma boa contadora de histórias, apresentava cada uma delas ao grupo. Acabou confeccionando, com seus estudantes, bonecos de pano. Ao construírem cada um deles, relembravam sua história e, ao final, todos sabiam perfeitamente as histórias incríveis de cada boneco.
Sorteavam entre eles quem levaria o boneco para casa. Antes de levá-lo, a professora dava a seguinte instrução: “Passe para frente a sua história”. As crianças dormiam, liam, assistiam TV, comiam com ele, levavam-no a restaurantes e a parques. As famílias surpreendiam-se com as histórias! Quem vai dizer que isso não é lição de casa? Essas crianças, esses estudantes, começaram muito bem a relação com a lição de casa, até dormem com ela!”

Por Marcelo Cunha Bueno, diretor pedagógico da Escola Estilo de Aprender

Anúncios

§ 3 Respostas para A lição de casa e o professor

  • Cláudia Freire "Lima" disse:

    Marcelo e suas considerações que devem ser conhecidas pelo mundo!
    Quando escolhi a escola de meu filho fiquei espantada com a falta de informação dos profissionais de educação. A maioria das escolas ainda repete um discurso antigo e ultrapassado.

  • Cláudia Freire "Lima" disse:

    Marcelo e suas considerações que devem ser conhecidas pelo mundo!
    Quando escolhi a escola de meu filho fiquei espantada com a falta de informação dos profissionais de educação. A maioria das escolas ainda repete um discurso antigo e ultrapassado.

  • Ana Julia disse:

    Bom, quanto ao assunto, sou mãe de um lindo menino de apenas 3 anos de idade, que estuda em uma escola muito puxada, todos os dias tem lição de casa para ser feita, às vezes acho meio puxado, mas concordo que tem que ser assim, pois é desde pequeno que se inicia, ele tem o tempo dele de fazer tarefas e a maioria das vezes (sempre), faz sozinho, sem pedir minha ajuda, pois ele é muito organizado, e também aprende muito rápido, a professora explica em sala de aula e quando ele vai fazer as tarefas em casa ele ainda lembra da explicação da professora e realiza sozinho as tarefas com apenas 3 anos de idade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

A lição de casa e o professor

04/05/2006 § 9 Comentários

Dica – O professor Marcelo Cunha Bueno, diretor pedagógico da Escola Estilo de Aprender, enviou um artigo bastante reflexivo sobre as questões que estão envolvidas na sempre polêmica “lição de casa”. O Yahoo! Busca Educação tem estado presente em muitas lições de casa pois é bastante comum que ali esteja envolvida a pesquisa em bibliotecas ou na internet. E você, o que acha da nova postura das escolas contemporâneas sobre a lição de casa? Leia o artigo de Marcelo e participe, contribuindo para o debate sobre esta questão. Lembre-se que você também pode enviar uma artigo sobre este ou quaisquer outros assuntos sobre educação e novas tecnologias. Isto pode ajudar a divulgar o seu trabalho e o de sua escola por meio do nosso canal Participe.

« Leia o resto deste post »

§ 9 Respostas para A lição de casa e o professor

  • Cláudia Freire "Lima" disse:

    Marcelo e suas considerações que devem ser conhecidas pelo mundo!
    Quando escolhi a escola de meu filho fiquei espantada com a falta de informação dos profissionais de educação. A maioria das escolas ainda repete um discurso antigo e ultrapassado.

  • Giovana Souza disse:

    Marcelo, sou educadora e concordo plenamente com sua idéia, o que ocorre, é que a prática é bem diferente da teoria e a grande dificuldade que nós educadores encontramos, está em utilizar os recursos didáticos com cautela.
    Explico melhor, por querermos nos apropriar de livros com ediçÕes atualizadas e recursos tecnológicos, terminamos propondo aos estudante muitas atividades que até confundem e fogem dos reais objetivos da escola e os pais terminam por perceber a insegurança desacreditando da metodologia da escola.
    O que precisamos fazer está claro, é aprender, a manipular os novos recursos para melhor ensinar nossos educandos.
    As tarefas escolares estão cada vez mais confusas para estudantes e pais , porque os conceitos não estão claros e muito menos a metodologia atual.

  • Constanza Botelho disse:

    Temo que as escolas e o sistema educacional brasileiro estejam muito aquém do que a criança e o jovem são capazes de produzir. À isso, atribuo o grande desinteresse do aluno, não só pelas tarefas escolares como também pela própria escola.
    Eles são auto-didatas e diletantes em várias áreas, fora da escola, mas as matérias escolares, arcaicamente repassadas não os motivam. A culpa não é deles, nem mesmo dos pais, possivelmente, os únicos que podem fazer algo a esse respeito são os educadores que poderiam encabeçar uma possível mudança, atualização do processo.

  • Beatriz Matarazzo disse:

    Marcelo, fiel parceiro da educação e de todos nós!
    Que bom te ouvir falar de lição de casa, assunto polêmico e encarado como uma carga p/ a família e p/ a criança. Sou professora e mãe de 2 crianças de 7 e 9 anos, que adoram fazer lição-de-casa. Se organizam sozinhos,administram seu tempo e sua responsabilidade. A minha participação é sempre a de compartilhar de suas produções, estar disponível para suas dúvidas ou solicitações (mesmo que nem sempre eu as resolva, já que a lição não é minha!) e estimulá-los cada vez mais na construção de uma postura de estudante.
    Quando você fala da lição de fim-de-semana, discordo do seu ponto de vista. Acho que as crianças realmente precisam aprender a administrar o seu tempo e faz parte desse aprendizado saber separar um pouco os compromissos de “trabalho” da vida familiar, que muitas vezes é deixada para trás pelos profissionais de hoje em detrimento de TRABALHO. Lidamos hoje com o stress, com a falta de limite nesse sentido, com desrespeito a si, com pessoas que querem fazer tudo ao mesmo tempo, e se esquecem que são humanos, que precisam parar!! Acredito que lição de casa é a responsabilidade do estudante durante a semana e que deve ser acompanhada pela família. O fim-de-semana deve ser reservado para o aprendizado de conviver em família, com os amigos, e de poder exercitar as relações de aprendizagem que você citou, como ir ao cinema, ler um livro, ir ao parque e observar as árvores, as sombras, o movimento das pessoas, etc. Todos nós precisamos aprender a frear, a fazer NADA! Aí abrimos um espaço para a contemplação, para o pensamento fluir, para sentir todo esse aprendizado entrando pelos poros.

  • Patrícia Mendes disse:

    Leio todos os textos e vejo todas as palestras do Professor Marcelo Bueno. Sou admiradora de seu trabalho de formação e de sua Escola. Concordo com a postura e o olhar do Professor quando refere-se à lição de casa. As crianças precisam de rotina de estudo, precisam de organização para poder desfrutar também de tempo livre.
    Não vejo a lição de casa como algo que leve a criança ao stress como disse a leitora anterior. Como disse bem o Professor nas entre-linhas, lição de casa no fim de semana é ir ao cinema, teatro, passear com as famílias, encontrar os amigos e isso é dito por ele sempre. Acontece devemos pensar nas crianças de outras camadas sociais, que não tem acesso nem à suas famílias e, quem dirá, à programações de ricos…não têm tempo de pensar que estão estressadas!!! Se as mesmas frearem, como disse a leitora, podem ser tomadas pelos males da sociedade desorganizada. Afinal, por que ela acha que exitem tantos programas em escolas nos finais de semana? Tantas escolas abrem nos fins de semana e ocupam as crianças com atividades extras? Ficar afastado das questões da escola, incluindo as suas tarefas, pode significar riscos!
    Lição de casa é coisa séria e dá trabalho!! Aconselho a todos que assitam as palestras da equipe do Professor Marcelo e vejam como pensam educação de uma forma diferente e problematizadora.
    Aproveito para parabenizar o site por suas inúmeras e exelentes contribuições para a educação. Aprecio imensamente seu conteúdo e os seus colaboradores!

  • Denise Resende disse:

    Sou totalmente leiga ao assundo, perto das leitoras acima. Vou falar pela minha experiência própria. Tenho um filho de sete anos, e para ele sempre foi muito prazeroso aprender. Aprender para ele não é um fardo e sim um estimulo, uma tarefa agradavel que faz parte de suas obrigações, lição de casa é muito importante na vida de um estudante não importa a idade dele, agora tem criança que cresce com os pais reclamando o tempo todo dizendo que lições são uma chatice que não tem tempo para perder com isto. Qual a criança que vai dar valor para um aprendizado com pais assim? Que lugar de aprender é so na escola.

  • Nilda dos S. Oliveira disse:

    Enquanto as famílias continuarem sem desempenhar seu verdadeiro papel realmente, todo e qualquer assunto inerente a vida escolar de seus filhos irão ser uma grande polemíca. A falta de valorização, advém sem dúvida alguma da inexistência dos pais ou responsáveis em assumirem com consciência e responsabilidade , a EDUCAÇÃO de suas crianças. Há muito,os pais ou responsáveis usam da máscara da sobrevivência e por conta disso delegam todos os seus deveres ao corpo docente e discente das Unidades Escolares , ainda exigindo das mesmas perfeições quanto: ao método de ensino, didática de trabalho, práticas educacionais, pedagogia escolar , qualificação profissional dos funcionários em geral, horários coerentes com os seus de trabalho, merenda específica, esportes adequado ao gosto do seu filho e suas necessidades,etc…etc… Escolas não são lares e nem instituições filântropicas.Ser pais não é fazer mais uma pessoa para outros educarem e ainda se fazerem de vítimas, alegando ter que trabalhar para sustentá-los.Os profissionais das escolas também tem seus filhos, trabalham para sustentá-los e não usam disso para deixar suas crianças à responsabilidade total de outros. Se os filhos fracassam na escola, com certeza os culpados são seus pais e famíliares e não professores e diretores. Atenção Brasileiros e Brasileiras! Filhos não são muletas na vida de ninguém, muito menos ponte social.Quem governa um País é seu povo e quem governa os filhos , são os pais!!! Enquanto não desempenharem suas responsabilidades de pais ou responsáveis na íntegra, não haverá escolas integralmente satisfatória, pois não há como as escolas assumirem com qualidade todos os papéis; como vem fazendo a tanto tempo e cada vez mais e mais…até quando? Só podemos exigir, cobrar e solicitar direitos, quando cumprimos com os nossos deveres! Ah! lição de casa já é o princípio de cidadania e desenvolvimento do caráter da criança. Se desde os primeiros meses escolares a criança vem sendo conscientizada, estimulada, apoiada, valorizada e principalmente responsabilizada à sua vida escolar, com certeza irá fortalecendo os valores , posturas e praticas humanas apenas positivas e necessárias para alicerçarem nossas vidas.Liçaõ de casa pode ser uma maneira prazeirosa de convivência familiar.Amar e antes de tudo EDUCAR(conscientizar,valorizar, respeitar, partilhar -amar). Parabenizo a Denise Resende pela sua consciência como mãe.

  • Roberta C.M.Costa disse:

    Tenho 2 filhos,um de 11 e um de 7 anos. Eles não me dão trabalho em relação às tarefas escolares.
    Geralmente não têm dificuldade em fazê- las sozinhos.Quando tem alguma dúvida eles perguntam e no final dou uma conferida.
    Quando vejo algum erro de ortografia, corrijo com eles mesmo que tenha passado batido pelo professor.
    Sempre incentivo que eles façam tudo com capricho e dando o melhor de si.
    Acredito que os pais têm uma responsabilidade muito grande em relação ao aprendizado de seus filhos,em todos os aspectos. Devemos estar presentes o máximo possível e acompanhar suas atividades:apoiando, incentivando e corrigindo.
    Este é o nosso papel de pais!!!

  • Eliana Penha C.Amorim disse:

    Sou professora de duas redes municipais. E, sempre me incomodou a forma como alguns colegas e até mesmo pais se relacionam com a lição de casa.
    Foi muito bom ler o que você escreveu porque me vejo no que está escrito.Estava justamente pesquisando sobre o assunto, porque em uma das escolas em que eu trabalho, desenvolvemos a prática de trabalhar com pais assuntos que eles sentem necessidade de se aprofundarem.E, neste mês é minha vez de conversarmos a respeito de lição de casa.
    É nítido que, quando os pais estão inteirados da vida escolar de seus filhos, o fracasso escolar deixa de ser uma realidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento A lição de casa e o professor no Pesquisa Educação.

Meta

%d blogueiros gostam disto: