TecEduc: Os dilemas do professor pronto para a era digital

10/10/2006 § 1 comentário

teceduc-2.jpg

Robô educacional em stand da Symphony no TecEduc. (Crédito: Yahoo! Busca Educação/Renata Aquino)

Notícia – O segundo dia começou com uma mesa-redonda sobre as mídias digitais no contexto educacional. Zélia Soares, do CIEE, apresentou o panorama, que teve a participação da professora Lígia Rubim, que falou sobre as implicações sobre o uso das mídias na aprendizagem e José Manuel Moran (ECA/USP e Fac. Sumaré), que discutiu os problemas atuais na implantação de EAD. A professora Lígia fez uma crítica que deixou pensativos o professores presentes. “Uma professora me mostrou como usava com facilidade a lousa interativa e como gostava da ferramenta; quando perguntei qual o impacto que ela achava que aquilo teria nas aulas, ela me disse apenas que tinha passado a dar conteúdo que antes levava quatro aulas, em apenas uma”, contou a professora Lígia.


teceduc-3.jpg
O “resumão” possível pela utilização da lousa não foi compreendido como ponto negativo por muitos dos presentes na palestra de Ligía. Uma entre as muitas tecnologias em exposição nos stands da feira do TecEduc, a lousa interativa atraiu os educadores, que viam a demonstração da pedagoga Adriana Martins. Adriana também treina um professor multiplicador ou um grupo de educadores do colégio que adquirir a lousa. “O exemplo que damos é o de um professor congelado em 1920 e subitamente inserido na época atual e conhecendo e se fascinando com as novas tecnologias”, contou Adriana. O treinamento, na escola ou na sede da empresa que comercializa a lousa, custa R$ 200. A lousa sai por US$ 2408 (48″) a US$ 4400 (77″).
Mais contundente nos argumentos contra projetos de EAD impensados foi o professor José M. Moran. O professor começou alertando para um perigo: “fico deslumbrado com a quantidade de novas tecnologias na educação mas sei que as coisas não são simples, não temos que olhar apenas para o professor mas também para o aluno que está aí”. Moran falou de sua experiência tanto no setor público (ECA/USP) quanto no privado (Fac. Sumaré). “No setor público, em nome da autonomia universitária, os professores podiam utilizar a tecnologia que quisessem e, muitas vezes, não se preocupavam se elas se comunicavam, não sendo possível criar conhecimento compartilhado”, contou Moran. Por sua vez, no setor privado, “me foi dada liberdade para implantar um modelo de projetos de EAD na Faculdade Sumaré, mas os alunos, que têm um perfil social diferente dos alunos da universidade pública, precisaram utilizar o laboratório de informática da universidade”, disse o professor. “Para não sobrecarregar a infra-estrutura da universidade e, ao mesmo tempo, permitir que todos os alunos tivessem computadores, consegui fechar um acordo para aquisição facilitada das máquinas”, contou ainda Moran.
A sensibilidade ao contexto da escola é essencial também na educação básica, de acordo com Moran. “Minha maior frustração é ver colégios particulares que gastam muito em tecnologia e não têm concepção pedagógica para apoiar aquilo tudo, sendo que ainda há a preocupação de qualquer aluno do ensino médio em simplesmente aprender o necessário para passar no vestibular”, afirmou o professor. “Quando se combina a utilização da tecnologia com pais e professores envolvidos, isso é feito de outra forma; e enquanto tivermos o modelo de apenas aprender para passar no vestibular, muita coisa não irá mudar”, enfatizou Moran.
Um dos destaques dos mini-cursos aconteceu à tarde no segundo dia. A professora de inglês Bárbara Dieu mostrou um blog para professores com utilização das mais novas ferramentas para aprendizagem colaborativa. Bárbara contou como aprendeu e implantou RSS, XML, aplicações Web 2.0 e muitas outras ferramentas para interagir com outros professores de inglês no mundo inteiro. Muitos dos projetos com alunos da professora, inclusive, foram realizados com a colaboração de professores além-mar. “Comecei com um professor de inglês na Alemanha em 2003 como meu convidado misterioso no blog, ele postava e os alunos tentavam descobrir quem ele era e praticando o inglês”, contou Bárbara.
teceduc-5.jpg
Apresentação de Carmem Maia, da Rived/MEC. (Crédito: Yahoo! Busca Educação/Renata Aquino)
Outro portal de projetos colaborativos é a Rede Interativa Virtual de Educação (RIVED) da Seed/MEC. Carmem Lúcia Prata, coordenadora, apresentou o projeto também no segundo dia à tarde. Na rede, não só os professores mas também alunos participam e produzem conteúdo. “O que importa não é a produção mas tornar o aluno autor”, disse Carmem. A RIVED produz ainda objetos de aprendizagem para EAD. “A intenção é criar a cultura nas universidades de utilização desses OAs”, afirmou a coordenadora. São 110 objetos de aprendizagem no portal atualmente e já foram distribuídas mais de 150 mil cópias dos softwares para educadores.
O TecEduc 2006 teve ainda outras discussões sobre uso de tecnologias educacionais em IES e empresas. O terceiro dia teve o encontro dos dirigentes de TI da área educacional com palestras sobre gestão e marketing de tecnologia educacional. O site do evento traz mais informações sobre esta e outras sessões.
Leia ainda: TecEduc mostra cenário da educação no futuro

Anúncios

§ Uma Resposta para TecEduc: Os dilemas do professor pronto para a era digital

  • alessandra aparecida disse:

    sou professora do ensino fundamental e gostaria de saber se há algum curso a distancia de curto prazo já que sou formada em ciencias contábeis e gostaria de fazer matemática.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento TecEduc: Os dilemas do professor pronto para a era digital no Pesquisa Educação.

Meta

%d blogueiros gostam disto: