As diferenças entre salas de aula reais e virtuais

14/11/2008 § 8 Comentários

fricke.jpg
apoiofinal-thumb.jpg


Entrevista – Anna Cristina Fricke apresentou a palestra “Análise Semiótica da Sala de Aula no tempo da EAD” no I Congresso Tecnologias na Educação. A pesquisadora traz questões importantes sobre a relação do espaço físico das salas de aula com os ambientes virtuais online.


Por que estudar a configuração da sala de aula? Não seria uma preocupação para arquitetos, e não para educadores? Conte um pouco sobre por que você decidiu estudar esta questão e a importância do seu trabalho para quem se preocupa com tecnologias na educação.
Estudar a sala de aula física sempre foi preocupação de engenheiros, arquitetos e administradores que nada tem a ver com educação. Uma vez, em 2005, eu fiz um projeto para uma sala de aula com computadores e me deparei com o problema do espaço: otimizar o espaço em termos de maior número de computadores na sala seria diminuir o espaço de circulação e troca entre as pessoas que participassem da aula. Dei muitas aulas em salas assim, hoje eu as evito: o computador liberta muito mais se a interação ocorrer pela internet do que se precisamos tirar os olhos da tela para procurar, por trás dos monitores enormes, os nossos interlocutores. E se é assim, melhor a EAD.
Com essa experiência, comecei a perceber que os responsáveis pela construção dos espaços onde damos aulas deveriam se preocupar em buscar, junto aos educadores, informações sobre educação, didática e uso do espaço, pois o espaço limita nossa atuação como profissional. As outras conclusões eu só consegui fazendo a análise semiótica dos exemplos de sala de aula que busquei na internet. Por outro lado, para o educador é muito importante entender as limitações que o uso do espaço nos impõe. Tanto para buscar soluções criativas – sempre há! – quanto para não repetir o mesmo enquadramento arquitetônico e social ao montar um curso a distância.
Qual a sua trajetória como pesquisadora? E seus futuros planos de pesquisa?
Eu comecei na semiótica, trabalhando com discos de histórias infantis. A partir disso senti necessidade de trabalhar com a expressão de emoção na fala, coisa que faço até hoje. Para isso foi necessário passar a uma pesquisa interdisciplinar entre semiótica e fonética acústica. A fonética acústica me trouxe ao mundo do software livre e da produção de software para pesquisa e ensino. E esse trajeto me trouxe a necessidade de pensar soluções para integrar novas pessoas a esse mundo complexo de semiótica, fonética acústica e tecnologia, o que só foi possível utilizando recursos online.
Estou envolvida atualmente na elaboração de um software que permita organizar a coleta de dados de fonética e de semiótica, tendo em vista a coleta de um número maior de dados do que os que conseguimos sem o software, para possibilitar análises estatísticas mais completas. Paralelamente eu trabalho com o Texto Livre, um projeto de pesquisa e aplicação voltado à utilização do espaço colaborativo do software livre para abrir portas em aulas de semiótica e de produção de texto em ambientes virtuais.
Como foi participar do I CTE. Você esperava que o evento tivesse tanta repercussão e participação com mais de 1200 inscritos? Conte os pontos que mais gostou na discussão do seu texto.
Fui convidada pela Maria de Fátima Franco, que faz uma disciplina comigo este semestre (aplicações computadorizadas para os estudos da linguagem). Fiquei muito feliz pelo convite, já havia participado de outro evento assíncrono que foi muito produtivo, mas estou mesmo encantada com o I CTE, com o entusiasmo dos participantes. O número de inscritos é um fator relativo, se não fosse esse entusiasmo e participação ativa, poderiam ser 5 ou 5 mil que não faria diferença.

Anúncios

§ 8 Respostas para As diferenças entre salas de aula reais e virtuais

  • Fátima disse:

    Oi, Ana Cristina
    seu trabalho trouxe uma visão diferenciada com a qual, normalmente,o educador não se preocupa.Só reclama, rsss..
    E foi um sucesso.
    Muito obrigada pelo apoio e por sua disponibilidade em participar.
    Beijos

  • jandira bressani disse:

    Comecei fazer um curso de midias na educação, mais devido as dificuldades, pois moro a 400km da capital.Não foi possivel terminar fiquei muito triste mais agora queria fazer outro curso na area de educação. Agradeço qualquer dica. Grata Jandira Entre Rios – RR

  • pamela ferraz pereira disse:

    ola…tud bem? estou cursando pedagogia e estou no 3 periodo e gostaria de saber se poderia trabalhar com idosos???como faço?obrigada pamela

  • Viviane disse:

    Estou me mudando para Angola e gostaria de fazer um mestrado em educacao que seja a distancia, pode ser no Brasil ou Portugal, ou qualquer outro pais de lingua portuguesa. agradeco possiveis informacoes.
    Viviane

  • Patricia Divina da Silva disse:

    Gostaria de receber sugestões para homenagear os pais dos meus alunos da Educação Infantil.

  • Silvalina disse:

    Bom dia, gostaria de receber sugestões de PROJETOS sobre o PAN para ser trabalhado com turmas de PRIMEIRA A QUARTA SÉRIE.

  • janaina disse:

    Tenho interesse em dicas de redação e gramática.

  • Eranteuma disse:

    Parabéns pelo seu trabalho.
    Gostaria de receber dicas de atividades que possam serm ministrada em sala de aula através da mídia (software)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

O que é isso?

Você está lendo no momento As diferenças entre salas de aula reais e virtuais no Pesquisa Educação.

Meta

%d blogueiros gostam disto: